quarta-feira, 24 de agosto de 2011

DESABAFO DE UMA (IN)JUSTIÇA.

Prezados leitores.

Quero agradecê-los pelos inúmeros e-mails / mensagens referentes ao blog que tenho recebido, e pelo crescente número de acessos. Relembro-os que, por razões obvias, só respondo / publico textos com clara identificação do(a) autor(a), ou seja, não anônimos; e que também não sejam objetos de “consultas”  (ex.: “como devo proceder na situação tal?”; ou  “o que você acha do meu vizinho que passou pela perícia tal”; etc.).

Transcrevo abaixo um e-mail que recebi recentemente. Ele termina com uma pergunta, que preferi deixá-la para que os Senhores respondam. Como a função maior desse blog é fomentar o bom debate, peço-os que fiquem à vontade para comentar o desabafo feito pelo autor (cujo sigilo da identidade foi mantido, como de costume).

Um forte abraço a todos e até segunda-feira (29/08), data provável para postagem de um novo texto nesse blog.

Que Deus nos abençoe.

Marcos Henrique Mendanha
Twitter: @marcoshmendanha

TRANSCRIÇÃO LITERAL DO E-MAIL:

“Boa noite Dr. Marcos

Foi um prazer imenso conhecer seu blog e estar em contato contigo.

Sou natural de XXXX/SP, me permita fazer um comentario/desabafo.

Trabalhei numa  empresa aqui, da região durante 10 anos na linha de produção e 3 anos de trabalho adquiri DE QUERVAIN bilateral e também TUNEL DO CARPO.

Pois bem , fiquei muito mal sem poder trabalhar, o médico da empresa me deu um laudo para afastamento, dizendo que suspeitava de DOENÇA MAIS COMUM EM NEGROS para eu procurar um angiologista (ja tinha levado pra ele 3 exames ). Procurei um advogado, foi marcado uma pericia na empresa, porem, fui só, sem a presença do advogado.

Foi ,como dizem no mundo politico: FORUM PRIVILEGIADO; dois ex-médicos da empresa, e dois advogados; fiquei encurralado.Feita a "pericia" fui dispensado (deveria aguardar na portaria da empresa) . Enquanto isso o perito judicial, junto com os dois medicos e os dois advogados da empresa permaneceram por exatos 23 minutos (eu marquei junto com outros colegas de trabalho). Fiquei esperando a saída do perito, para a minha surpresa saiu quase correndo; me dirigi a ele, e antes de eu perguntar alguma coisa, me falou seu advogado receberá o laudo. Resultado? LOCAL DE TRABALHO NÃO OFERECE RISCO, AUSÊNCIA DE MOVIMENTOS REPETITIVOS.

Para o Dr ver que como sofremos com pessoas que usam dessa mais nobre profissão que existe (dependemos da medicina desde antes de nascermos, até depois de mortos) mas vemos esses verdadeiros corruptos agirem a reveria .

Quanto a mim, pedi e  terei nova perícia por esses dias, mas confiar em quem?

3 comentários:

  1. Confiar na própria inteligência e no bom censo é um bom começo!
    Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. O colaborador em questão não conseguiria através de testemunhas uma ajuda para recorrer? Não vai ser caracterizado uma doença ocupacional?

    ResponderExcluir
  3. Dr. Ricardo A Salgueiro29 de agosto de 2011 07:34

    De primeiro é preciso esclarecer:

    1- em que circunstâncias da perícia participaram ou não participaram os advogados, pois em caso de presença direta dos dois advogados na sala e no ato pericial, o mesmo pode ser anulado, nos autos.

    2- maior descrição da perícia e alegações no laudo pericial.

    Porém, aparentemente é o comum de se ver em geral nas situações fáticas trabalhistas: o obreiro não ter acesso a assistencia técnica contratando médicos para acompanhamento pericial.

    ResponderExcluir

Os comentários só serão publicados após prévia análise do moderador deste blog (obs.: comentários anônimos não serão publicados em nenhuma hipótese).